Notícias

17/03/2017 16:50

Fernando Cerqueira é convidado do "Essa Noite se Improvisa"


Fernando Cerqueira participa da ação do projeto “Tropicália: Régua e Compasso”, nesta quinta, 23 de março, às 17h, no Palacete das Artes. Gratuito

A próxima edição do Essa Noite se Improvisa recebe o compositor Fernando Cerqueira, quinta, 23 de março, às 17h, no Palacete das Artes. Fernando Cerqueira é compositor baiano nascido em Ilhéus e criado em São Gonçalo dos Campos (BA). A ação, que faz parte do Projeto Tropicália: Régua e Compasso, visa promover a participação e a interação de agentes culturais de várias gerações, com encontros descontraídos, improvisos musicais com banda base, e com direito a participação de cantores, compositores e instrumentistas. O acesso ao evento é gratuito.
No próximo Essa Noite se Improvisa, Fernando Cerqueira vai falar sobre os aspectos importantes da relação entre ideias e materiais sonoros nas obras musicais, destacando certos traços marcantes do processo criativo contemporâneo que são coincidentes, em graus diversos, tanto na música popular, quanto na música erudita. Para ilustrar a ideia, vão ser mostrados alguns exemplos de suas obras, confrontados com elementos encontrados em músicas conhecidas dos compositores tropicalistas.
Fernando Cerqueira estudou na Escola de Música da Ufba de 1962 a 1969, cursando mais tarde o mestrado em Teoria da Literatura no Instituto de Letras da Ufba. Depois de um período de cinco anos como professor em Brasília (UnB), voltou a Salvador para ensinar composição na EMUS-UFBA, de 1975 a 1994. Em 1966, junto com outros compositores de música erudita, participou da fundação do Grupo de Compositores da Bahia (UFBA), movimento de música nova e experimental que permaneceu ativo, como grupo original, até 1974.
Convivendo e frequentemente interagindo criativamente com os compositores de música popular, o Grupo de Compositores teve a oportunidade de desenvolver e compartilhar, através da música erudita, as novas ideias e motivações da época, como as que caracterizaram o movimento tropicalista baiano.
Parceria - O projeto Tropicália: Régua e Compasso é realizado pela Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb), em parceria com o Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (IPAC) - ao qual pertence o Palacete das Artes -, e com a Fundação Pedro Calmon (FPC), entidades vinculadas à Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA). O projeto idealizado por Fernanda Tourinho, diretora da Funceb, conta com exposição homônima montada no Palacete das Artes com curadoria de Murilo Ribeiro, diretor do espaço administrado pelo IPAC.
O público confere, na Sala Contemporânea Mario Cravo Jr, a exposição com peças de artistas da música, da dança, e das artes visuais em evidência nos anos 60, como Lina Bo Bardi, Walter Smetak, YankaRudzka, Carybé, Juarez Paraíso, Lênio Braga, Jenner Augusto, Pierre Verger, além de fotos dos acervos de Lia e Silvio Robatto, recentemente doados ao Centro de Memória da Bahia.

Serviço:
Tropicália: Régua e Compasso
Onde: Palacete das Artes – Rua da Graça, 289, Graça
Visitação da exposição: terça a sexta, das 13h às 19h, sábado, domingo e feriado, das 14h às 19h
Programação até março, às terças, quartas e quintas-feiras sempre a partir das 17h:
A Sopa de Maria: Terça- feira, dia 28/03
Uma Ideia na Cabeça: Quarta-feira, dia 30/03
Essa Noite se Improvisa: Quinta-feira, 23, e Terça, 28/03
Seminário e lançamento de revista: dias 29 e 30/03

Texto: Oseias Alves
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.