Notícias

18/05/2017 16:52

Escola de Dança da Funceb recebeu visita

encontro

Foto: Thomaz Neto



A dança do Pau de Fita reuniu sorridentes jovens de 9 a 12 anos, com saias coloridas e faixa com flores na cabeça, no espaço Céu, da Escola de Dança da Funceb, na tarde desta quinta-feira, 18 de maio. As alunas do nível 2 do Curso Preparatório da Unidade do Centro de Formação em Artes (CFA) da Fundação Cultural do Estado da Bahia deram uma mostra do conteúdo relacionado à dança popular trabalhado em sala de aula para participantes do IV Encontro Nacional de Pedagogia das Artes Cênicas.


A visita técnica reuniu estudantes, especialmente, de várias partes do país, que participarão do evento até o dia 21, sábado. Na Bahia a programação é realizada em parceria com a Ufba, Funceb, UFOB, UFRB e Uneb. A abertura oficial do Encontro acontece nesta quinta à noite, às 19h, na Escola de Teatro da Universidade Federal da Bahia. A diretora da Funceb, Fernanda Tourinho, fala sobre as ações desenvolvidas pela instituição educacional.


Ainda no primeiro momento da visita técnica à Escola de Dança da Funceb, após da Dança do Pau de Fita, alunas do nível 4 apresentaram o Carimbó, embaladas pela banda formada por Alex frança, Ricardo Costa e Leo Jesus. 


Matrizes populares - “A Escola de Dança está voltada para as danças de matrizes populares brasileiras e busca o fortalecimento da cultura com matrizes negras”, explicou Marle Macedo, diretora do CFA. “Povos, costumes e sentimentos expressos na dança devem ser decodificados para afirmação do que as pessoas são”, concluiu.


Em uma breve apresentação da escola para os visitantes, o diretor da casa, Jacson do Espírito Santo, destacou que a Escola de Dança da Funceb, entidade vinculada à Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, atende à Lei Orgânica do estado e às políticas públicas. Ele destacou a criação da Coordenação especifica para Núcleos de Extensão da instituição e ações como as realizadas com grupos residentes. 


A mesa de gestores ainda foi completada pela vice-diretora Virgínia Costa, que comentou sobre a freqüência da escola - a primeira pública de dança do Norte e Nordeste - especialmente formada por representantes afro descendentes e com baixa renda; e pela coordenadora do Pedagógico, Mayra Nascimento.


Visitante na tarde desta quinta, o ator, dramaturgo e professor de teatro Francisco André, que já atuou na Coordenação de Dança da Funceb e hoje desenvolve doutorado, destacou que a aproximação do conhecimento científico-acadêmico, muitas vezes envolto nos casulos universitários, é fundamental. “Muito se tem produzido, no interior da Escola de Dança da Funceb e seus núcleos comunitários. Socializar estas vivências com artistas e pesquisadores de distintas regiões no país é uma forma de divulgar este conhecimento para outras realidades”.


Do espaço Céu os visitantes se dividiram em grupos para conferir as aulas de várias modalidades ministradas em sete espaços da Escola e ainda em dois espaços do Centro de Formação em Artes, no Solar São Dâmaso, a alguns metros da Escola de Dança da Funceb.


Texto: Claudia Pedreira 

 

 

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.