Notícias

16/11/2017 15:20

NovembroArtesNegras - Funceb exibe "Merê", filme de Urânia Munzanzu

mereO projeto Novembro das Artes Negras - inédito da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb/Secult) - receberá, no próximo dia 28 de novembro, a exibição do filme “Merê”, da jornalista e cineasta,  Urânia Munzanzu.

A exibição, às 19h, será seguida de debate sobre "Cinema e Representatividade", com os cineastas, Antonio Olavo e Daniela Fernandes, além da presença de religiosos de matriz africana. O evento é aberto ao público, sujeito à lotação do espaço, na Sala Walter da Silveira (Barris).

O filme "Merê" une religiosas da Bahia e de Benim (África) em torno da tradição de Jeje Mahi - que compreende as culturas de diversos povos, como: os Fon, Ewe, Mina, Gan, dentre outros, unidos em torno do culto aos Voduns. 

"Merê" nasce do projeto “A ponte – diálogo entre dois mundos”, idealizado por Urânia Munzanzu, que é mestranda em Antropologia na Universidade Federal da Bahia, e Dabosi no Terreiro do Bogum. O projeto tem como objetivo resgatar a história, a religiosidade e os cultos da tradição Jeje, além de promover o reencontro entre religiosas daqui e de lá.

Foram com ela a Naandojhi do Bogum – Mãe Índia, Gayaku Regina Rocha, o avogã Márcio Rocha, o Ogã Ipê – Walter Santana, a Mameto Zulmira e a Ekedjhi Dizorilda Santana, além da ialorixá Jaciara Ribeiro (Ilê Axé Abassá de Ogum), representando o governo do estado, à época. 

“Esse projeto nasce como um registro desta força feminina na tradição Jeje Mahi, na qual tudo gira em torno de nós mulheres. É uma tradição de matriarcado que estava desaparecendo, e tornou-se um compromisso preservar e mantê-la. Inicialmente, o objetivo era fazer esse registro lá na África para mostrar a força da mulher”, completa Urânia.

A continuidade desse projeto já está engatilhada. É preciso ainda voltar à África para novos depoimentos. Na Sala Walter da Silveira, será apresentado um trecho desta primeira fase, e depois, o debate será um momento para se falar desta vertente no cinema afro-baiano, que valoriza e protagoniza a cultura, a história e a religião de matriz africana.

"O Jeje ainda luta a duras penas para manter sua relação com o tempo e não impondo exigências a ele. Merê é sobre nós, é para nós e por nós mulheres”, diz a diretora Urânia Muzanzu.

Foto: Léo Azevedo
 

Serviço:
Exibição do filme Merê, de Urânia Munzanzu
Data: 28 de Novembro
Horário: 19h
Local: Sala Walter da Silveira - DIMAS, Rua General Labatut, nº 27, subsolo, Barris
Aberto ao público.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.