Notícias

12/04/2018 16:14

#CatálogoDeDança - Investigativo e inovador, espetáculo de dança investe na improvisação em cena

Xícara para Pessoa Ausente (Foto: Camila Brito e Milena Athayde)
Xícara para Pessoa Ausente (Foto: Camila Brito e Milena Athayde)

A obra "Xícara para pessoa ausente" está entre os aprovados para o Catálogo de Dança, ação promovida pela Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb/Secultba) que visa destacar e atrair olhares para espetáculos de Dança. Esta se refere a uma investigação da arte ambiente, que ressalta uma tendência da produção contemporânea.

Integrando as pesquisas do Grupo X de Improvisação na área da dança, o espetáculo estreou no ano passado e foi apresentada na Praça das Artes da Universidade Federal da Bahia (UFBA). O Grupo fundado em 1998 é coordenado pelo Professor da Escola de Dança da UFBA, Eduardo Oliveira, em parceria com Fafá Daltro, que investem na improvisação em cena.

“Este trabalho busca a interface com outras linguagens artísticas como as Artes Visuais, Música e o Audiovisual, dialogando com os elementos encontrados nos espaços, construindo – em cena - figurinos e elementos cênicos que possibilitam a exploração de diversas corporalidades, buscando o extraordinário do ordinário ao ressignificar o espaço urbano”, explica Eduardo.

“Trata-se de uma investigação em Site Specific que se relaciona com o ambiente externo não como uma paisagem a ser representada, mas compreende-o como elemento propulsor da criação artística”, conta o proponente. Ele ainda ressalta que o ambiente se transforma e se configura em novos espaços, uma inovação com movimentos da dança com base nas situações vividas diariamente.

O professor, que já desenvolveu trabalhos com companhias de dança de outros países e teve outro projeto contemplado por mais uma ação da Funceb, o Edital Setorial de Dança, destaca a importância do Catálogo em reunir parte da produção do estado: “o Catálogo da Dança possibilita maior visibilidade da diversidade da nossa produção, o que poderá ampliar as possibilidades de trabalho para artistas, grupos, técnicos, etc”.

“Esperamos que um número maior de pessoas tenha acesso ao nosso trabalho e o público especializado como curadores, programadores de festivais e eventos conheçam a diversidade produzida na Bahia, contemplando em sua programação os trabalhos desenvolvidos aqui que, normalmente, ficam invisibilizados pela falta de fomento à circulação de obras de Dança que enfrentamos no Estado, nos últimos anos”, finaliza o Coordenador do Grupo X de Improvisação.

Xícara para Pessoa Ausente (Foto: Camila Brito e Milena Athayde)
Xícara para Pessoa Ausente (Foto: Camila Brito e Milena Athayde)
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.