Notícias

22/11/2018 15:30

Funceb fará exibição de filme e oficina de vídeo sobre a primeira palhaça negra do Brasil

card

Neste mês, a Fundação Cultural do Estado (Funceb/SecultBa) realiza mais uma edição do Novembro das Artes Negras, uma iniciativa que busca valorizar e dar visibilidade aos artistas negros das mais diversas áreas de atuação. As artes circenses são uma das sete linguagens artísticas abarcadas pela Funceb, e haverá uma programação especial voltada para os artistas e amantes de circo.

No dia 29 de novembro, às 18h, haverá exibição gratuita do documentário "Minha Avó era Palhaço", dirigido por Ana Paula Minehira e Mariana Gabriel, que conta a trajetória artística da primeira palhaça negra do Brasil, Maria Eliza Alves dos Reis, "o" palhaço Xamego - a grande atração do Circo Guarany no início da década de 40. O filme estreou em 21 de março de 2016 (data de celebração do aniversário de Maria Eliza) e já foi exibido 109 vezes em 10 estados brasileiros e em Guadalajara, no México.

Após a exibição, haverá bate-papo com a cineasta, diretora do documentário, Mariana Gabriel, com o tema "Circo Guarany – Memórias de uma das primeiras famílias circenses negras do Brasil". A programação acontecerá na Sala Walter da Silveira, localizada no subsolo da Biblioteca dos Barris.

A cineasta destaca que "é importante dizer, também em nome da minha família, que é maravilhoso participar do evento Novembro das Artes Negras em Salvador trazendo a história da minha avó Maria Eliza, uma das pioneiras na palhaçaria feminina brasileira, além do meu bisavô João Alves, que foi um grande empresário, dono do considerado Grande Circo Guarany, no início do século XX".

Mariana conta que vem descobrindo a sua tradição familiar circense através de dois projetos: "Xamego, a primeira palhaça negra do Brasil" e "Os Caminhos do Negro João Alves por esse país de Meu Deus - Entre lonas, serragens", contemplado no Itaú Rumos de 2018. "Costumo brincar que nasci atrasada e que perdi o trem! Mas venho me reencontrando, me transformando e amadurecendo pessoalmente e artisticamente ao estudar e mergulhar na trajetória da minha família materna, a Família Alves do Grande Circo Guarany, na época chamado de 'Circo dos Pretos', imagina?", revela a cineasta.

card

Oficina de Vídeo - Além do bate-papo, a cineasta Mariana Gabriel realizará a oficina de vídeo Do roteiro à produção: Registro Audiovisual da Memória do Circo, que acontecerá no dia seguinte, 30 de novembro, das 9h às 18h, também na Sala Walter da Silveira, nos Barris. Os interessados devem se inscrever através deste link. Haverá certificado digital para os participantes.

A vivência formativa acontecerá gratuitamente para até 20 artistas circenses. Na ação, a cineasta vai aprofundar aspectos técnicos relacionados à direção do filme "Minha avó era Palhaço", desde a etapa da pré-produção até sua distribuição pelos dez estados brasileiros e seu impacto na exibição do México, passando pelas fases de produção, pesquisa, pré-roteiro, composição de trilha sonora, roteiro de direção, edição, pós-produção e distribuição.

Entusiasmada, Mariana conta: "pretendo compartilhar a experiência de realização do documentário e seus desdobramentos ao exibi-lo em salas de cinema, universidades, escolas, centros culturais, festivais de circo, encontros de palhaçaria feminina e em mostras de teatro negro. Em Guadalajara, no México, houve um público de quase 6 mil espectadores". Ela ainda destaca que as exibições aconteceram de forma independente, fora dos circuitos de cinema.

Serviço:
Exibição do documentário "Minha avó era Palhaço" de Mariana Gabriel e Ana Minehira + bate-papo "Circo Guarany – Memórias de uma das primeiras famílias circenses negras no Brasil"
Quando: 29 de novembro, às 18h

Oficina de vídeo Do roteiro à produção: Registro Audiovisual da Memória do Circo
Quando: 30 de novembro, das 9h às 18h. Inscrições através do link https://goo.gl/cWo8fA
Onde: Sala Walter da Silveira (subsolo da Biblioteca dos Barris)
Gratuito
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.