Notícias

07/12/2018 14:23

Oficina com Regina Dalcastagné termina hoje propondo novos olhares para a literatura

oficina
Foto: Karina Rabinovitz

Termina nesta sexta-feira (7/12) a Oficina Escritas em Trânsito - Possibilidades e Impasses da Literatura Brasileira hoje, promovida pela Coordenação de Literatura da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb/SecultBa). A atividade ministrada pela escritora Regina Dalcastagné teve início na última terça-feira (5/12), na Sala da Cia de Teatro do Teatro Castro Alves.

Durante três dias de encontro, foram propostos aos 30 participantes inscritos, novos olhares e novos pensamentos sobre a literatura brasileira. Ao longo de sua trajetória, a crítica literária Regina Dalcastagné vem se destacando por avaliar os aspectos da desigualdade social na nossa literatura.

Há cinco anos editando a Revista Estudos Contemporâneos de Literatura Brasileira, hoje no formato online, Regina confessa estar gostando dessa experiência de ministrar a oficina para esses 30 alunos:

“É a primeira vez que faço uma Oficina com esse formato no Brasil. Nosso foco aqui são reflexões com eles, o que eles podem produzir. Estão aqui escritores, pessoas interessadas na escrita, temos também estudantes bem experientes, então vamos buscar juntos alternativas e possibilidades na escrita”.

Pesquisa - Durante a oficina, Regina apresentou, dentre outros itens, uma pesquisa realizada na Universidade de Brasília sobre as grandes editoras que seguem publicando obras de escritores brasileiros com o mesmo perfil há 49 anos. "O trabalho envolve livros nacionais lançados entre os anos de 1965 e 2014, a maioria deles foram escritos por homens, brancos, pelo menos metade do Rio de Janeiro e São Paulo", disse a pesquisadora.

Para a autora de obras como: A Literatura brasileira contemporânea: território contestado e O espaço da Dor: o regime de 64 no romance brasileiro: “a pessoa escreve, e se ela publicar numa grande editora, será considerada melhor do que aquela que edita seu próprio livro. A questão não é a qualidade, mas o que vai dar visibilidade. Hoje, com as redes sociais, muitos autores conseguem leitores, mesmo distantes”.

“Existem inúmeras dificuldades", pontua a escritora que continua: "os canais mais tradicionais são sempre grandes, mas tem outros casos, como por exemplo, o do ganhador do recente Prêmio Jabuti, o cearense Mailson Furtado Viana que conseguiu publicar seu livro, às próprias custas. Mas geralmente não é assim que funciona”.

publico
Foto: Vera Violeta

Representatividade - Para a estudante do 3º semestre do Curso de Letras da UFBA, Samara Lima, o conteúdo que Regina está abordando é bem atual: "da mesma forma que está tendo muito ativismo, ela está abordando a questão da representatividade na literatura brasileira muito bem, já li muitos dos seus artigos, admiro o trabalho dela”.

O músico, professor e escritor, Marcelo Cordeiro, diz estar se atualizando nas condições da literatura na atualidade: “ela nos apresenta sempre temas instigantes, acho ótimo, espetacular! Soube da oficina pelo site da Funceb. Fico sempre atento aos editais que são publicados”.

Já o cacique e escritor, Juvenal Payayá, veio de longe, de Utinga, na Chapada Diamantina, 428 quilômetros, e um dia pra chegar em Salvador. Aos 73 anos, saindo de sua aldeia e confessa: “estou chegando agora, estou atrás de novas experiências, quero divulgar o que tenho na gaveta. São 9 livros publicados entre romances e de poesia. O principal é avanço no campo das artes, é muito dinâmico, se você não correr fica para trás”.

A Professora de Língua Portuguesa do Instituto Federal da Bahia (Campus Salvador) Fatima Santiago destacou: “estou adorando porque ela aborda a literatura como resistência diante desse contexto de ameaça da liberdade de cátedra. Estou me atualizando muito aqui sobre a literatura brasileira”.

Regina Dalcastagné - De Santa Catarina Regina mora em Brasília há 20 anos. É pesquisadora, escritora e crítica literária brasileira. Doutora em Teoria Literária pela Universidade Estadual de Campinas e Professora titular de Literatura Brasileira da Universidade de Brasília, possui muitos artigos e livros publicados sobre literatura e crítica literária.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.