Notícias

18/02/2019 08:00

#PrêmioPierreVerger - Fotógrafo vencedor da última edição reconhece fôlego e fala da repercussão da premiação

card

Passados dois anos, o fotógrafo baiano Paulo Luiz Coqueiro Andrade, vencedor da sexta edição do Prêmio Nacional de Fotografia Pierre Verger com a obra “Não minta para mim”, reconhece na premiação um importante caminho para sua carreira e continua torcendo pela valorização da fotografia na cena brasileira.

“É um Prêmio que permite grande visibilidade sobre os trabalhos premiados e selecionados e estimula avanços no uso dessa importante linguagem. Venho realizando uma extensa pesquisa que contrapõe a potência e os limites da linguagem fotográfica. E esse tem sido um percurso muito gradual, exibindo trabalhos em mostras, bienais, salões e culminou com este grande Prêmio”, revela Paulo.

O fotógrafo destaca que, de uma forma geral, as premiações cumprem o importante papel de legitimar os trabalhos dos artistas visuais e fotógrafos: “dá um grande fôlego para circular com a produção em outros lugares. E o Prêmio Pierre Verger, em particular, é muito querido e sua relevância no cenário da fotografia brasileira é indiscutível”, revela o fotógrafo.

paulo

Repercussão - Além da legitimação do trabalho, outro ponto destacado pelo fotógrafo Paulo Coqueiro é a repercussão da sua obra. “Após o Prêmio, venci com esse trabalho o Festival de Fotografia de Porto Alegre por dois anos seguidos, consegui também, a partir dali convites como pra Trienal de Hamburgo [Alemanha], um festival de fotografia europeu que culminou com a minha premiação de melhor trabalho apresentado dentre 50 pré-selecionados”, conta o fotógrafo.

O vencedor da última edição Prêmio Pierre Verger também destaca participação em eventos como o Encuentros Abiertos/ Festival de La Luz, na Argentina; uma exposição no Festival de PhotoVisa, na Rússia e duas exposições individuais: uma no Centro de Fotografia do Uruguai e outra no Festival de Fotografia de Lianzhou, na China.

pNão Minta pra Mim - O ensaio premiado Não Minta pra Mim, composto de 43 imagens, apresentado pelo fotógrafo, problematiza a verdade documental da fotografia, a partir de uma perspectiva ficcional. Paulo não venceu por uma imagem, mas sim por conta de um conjunto de imagens que narram a história de um personagem fictício. “Este trabalho é fruto de uma longa investigação sobre a crença na imagem”, conta o autor.

O fotógrafo conta que a obra demorou mais de dois anos para ser construída e consiste em uma série de estratégias para discutir a fragilidade da imagem, “de como podemos ser manipulados por elas”. A obra fictícia fala sobre um fotojornalista que retorna ao lugar onde nasceu, e que por conta de uma série de denúncias, desaparece sem deixar vestígios, a não ser a própria obra.

A sétima edição do Prêmio Nacional de Fotografia Pierre Verger é uma parceria entre a Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb/SecultBa) e Fundação Pierre Verger.

Inscrições - As inscrições são gratuitas e o edital estará aberto entre os dias 22 de março e 30 de maio de 2019. As inscrições serão realizadas por meio postal, via SEDEX ou serviço similar de entrega, com Aviso de Recebimento. Os ensaios fotográficos devem ser inéditos, e não podem ter sido premiados no Brasil ou no exterior. Confira mais informações no edital!

Fotos: Paulo Coqueiro (Não minta para mim)
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.