Notícias

18/04/2019 11:00

#PrataDaCasa – Maria de Lourdes, a “Abelhinha” é a inspiração e a memória da Dimas

c

“Por eu ser muito ágil e fazer do meu jeitinho meus afazeres deram de me chamar Abelhinha”, explica Maria de Lurdes Oliveira dos Santos como ganhou seu apelido carinhoso durante seus 33 anos atuando em serviço na Diretoria de Audiovisual da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Dimas/Funceb).

cCom 64 anos, metade da vida de Abelhinha faz parte da história da Dimas. “Este foi meu primeiro emprego”, relembra. Conterrânea de Caetano Veloso e Maria Bethânia, Abelhinha veio de Santo Amaro em busca de emprego na cidade grande e se tornou uma preciosidade da Dimas.   

“Quando eu cheguei em 86, a Dimas ficava no prédio da Biblioteca Pública, nos Barris, depois descemos para o subsolo e ficamos um bom tempo por lá, até vimos para a atual sede no Pelourinho”, lembra de cór todos os espaços que prestou serviço para a diretoria.

Já foi mãe da noiva nas quadrilhas organizada pela Fundação, já apareceu em filme realizada em parceria com a Dimas e como ficou muito conhecida pelo cafezinho que fazia. “Não usava mel não, eu adoçava com muito carinho e amor, como tudo que fiz na Dimas”, brinca com as memórias.

Hoje, o primeiro pavimento da Dimas fica por conta dela e é impossível passar despercebida pelas salas e corredores. Até na silenciosa sala do acervo de película os gracejos e a boa companhia de Abelhinha é notável. “Se meus colegas precisarem de mim, eu sempre estou disposta a ajudar”, conta convicta da fórmula de que duas mãos é melhor que uma.

cSonhos - Abelhinha diz cuidar com o mesmo zelo que criou e educou sua filha dos setores que se encarrega. “Hoje minha filha é enfermeira e eu sou muito feliz, pois vi a possibilidade de transformar minha vida fazendo o que faço e que posso ter sonhos”,  revela sem perder o sorriso durante a conversa.

Conta feliz de como o acolhimento de gestores, coordenadores e seus pares foi importante para sua autoestima. Abelhinha conseguiu tirar o segundo grau e não parou por aí. Hoje faz reforço de português numa escola comunitária para tirar uma boa nota na redação do ENEM. “Vou fazer o vestibular para realizar um sonho”, relata animada. 

Os planos não é abandonar o trabalho na Fundação, mas conciliar com os estudos, pois é inegável a disposição que lhe é peculiar. Com a possibilidade de escolher duas opções, Abelhinha ainda não se decidiu entre fazer Direito Administrativo e Serviço Social.

Se fizer Direito Administrativo, ela pretende trabalhar em atenção aos direitos dos encarregados de serviço gerais. Se for aprovada em Serviço Social, pretende trabalhar com menores infratores. “Eu ainda quero trabalhar com a possibilidade de enxergar o humano”, inspira nossa heroína.

Fotos: Marcelo Ricardo
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.