Notícias

28/06/2019 16:20

#DoisdeJulho - Um marco na história dos sonhadores das filarmônicas 5 de Março e Amigos da Música

s
Associação Filarmônica Amigos da Música (Foto: Acervo Pessoal)

Muitas das crianças que compõem filarmônicas, ao menos uma vez na vida, já pensaram em puxar uma banda com marchas, polacas, frevos e maxixes em louvor a sua cidade durante o Cortejo de Dois de Julho. É orquestrando sonhos como estes que a Funceb, através da Coordenação de Música, possibilita que o momento histórico e histórias pessoais se cruzem nas ruas da capital orgulhando estes verdadeiros sonhadores. 

Na próxima terça-feira (2), a Fundação Cultual do Estado da Bahia trará 10 Bandas Filarmônicas e 3 Grupos de Manifestação de Cultura Popular para participarem do Cortejo 2 de Julho em Salvador, num desfile que marca uma das datas histórias mais emblemáticas para os baianos.

Ao chegar no município de Wenceslau Guimarães, Claudio Jesus dos Santos, músico egresso da Filarmônica Terpsícore Popular de Maragojipe, teve a ideia de criar um curso de música na cidade. Foi por conta das reuniões de crianças e adolescentes em praças e embaixo de árvore que possibilitou a fundação em 2001 da Associação Filarmônica Amigos da Música. “Eu tinha uma requinta e dava aula com apenas um instrumento para uma pequena turma, ao longo do tempo conseguimos adquirir outros instrumentos”, conta.

Cláudio também construiu um espaço, onde funciona atualmente a sede da banda e desenvolveu um projeto de escolinha de música que recebe 90 crianças. As aulas são voltadas para o ensino de instrumentos e valores cidadãos. Participar do Cortejo do Dois de Julho para o fundador é a realização de um sonho. “Eu me dediquei exclusivamente para isso, hoje é tudo que faço. Ser maestro é minha identidade!”, afirma Cláudio.

De acordo ao maestro, o entusiasmo da cidade foi tanto que rendeu a construção coletiva de um fardamento exclusivo para as apresentações do próximo dia 2. “Todo dia eu recebo mensagens de alunos fazendo a contagem regressiva”. São 35 músicas que irão se deslocar de sua terra natal para a realização de um sonho, conhecer a capital e dar o seu melhor. “É um marco histórico, mas também um marco na vida de muitos deles”, salienta.

Marco histórico e pessoal 

Durante os 122 anos da Associação Educacional e Musical 5 de Março, de Muritiba, muitas realizações pessoais puderam ser comprovadas, como a liderança do maestro Danilo Oliveira, que trilhou carreira da escolinha de música à banda ocupando um importante cargo, que anteriormente pertencia a Argemiro Sacramento, um dos fundadores da filarmônica.

d
Associação Educacional e Musical 5 de Março (Foto: Acervo Pessoal)

O vice-presidente Luciano Borges conta como diversos desafios, inclusive para instituir a sede na Praça do Bonfim. Trata-se de um marco realizado pelos próprios. “Mantemos uma escolinha em nossa instituição que recebe anualmente pouco mais de cinquenta alunos gratuitamente. Conseguimos com pouco apoio e muito sacrifício nossos instrumentos”, conta. A filarmônica foi fundada a partir do encontro de músicos, em 1987.

A orquestra principal que virá a Salvador é formada por 40 músicos. “A expectativa é a melhor possível, pois a filarmônica tem a oportunidade de divulgar seu trabalho com crianças e adolescentes diante da população soteropolitana”, diz Luciano. A Filarmônica participa das comemorações ao 2 de julho desde a existência da Casa das Filarmônicas, que deu a oportunidade da banda mostrar seu extenso repertório da tradição interiorana.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.