Notícias

16/08/2019 14:24

Comitiva oficial da Costa do Marfim visita a Funceb e a Escola de Dança, e participa da Festa da Boa Morte, em Cachoeira

f
Comitiva na Escola de Dança da Funceb (Foto: Marcelo Ricardo)

A Fundação Cultural do Estado da Bahia/SecultBa recebeu nesta semana uma Comitiva oficial da Costa do Marfim. Na oportunidade, eles conheceram as instalações da Funceb e da Escola de Dança da instituição. Na quinta-feira (15), ao lado da diretora geral da Funceb, conheceram a secular Festa da Boa Morte, em Cachoeira.

A visita começou na terça-feira (13) com a presença de  Kouame Aka (historiador, conselheiro técnico encarregado da Rota dos Escravos e chefe da delegação), Yacouba Konate (Secretário Geral da Grande Chancelaria da República da Costa do Marfim e diretor do MASA), Koffi Tougbo (Linguista e conselheiro técnico encarregado das Artes e Cultura), Kienon Timpoko (arqueóloga e conselheira técnica da Arqueologia), Daho Abdramane (diretor dos assuntos financeiros do Ministério da Cultura e da Francofonia), Kolea Guy Serge (jornalista cultural e representante da Rádio Difusão e televisão Costa do Marfim), Nassardine Cynthia (cineasta) e Lacote Philippe (cineasta).

A visita integra uma iniciativa de aproximação cultural e social com a Diáspora Negra, tendo a comitiva já visitado Recife, antes da capital baiana. “Muitos de nós da Costa do Marfim fomos trazidos para cá e queremos estreitar essa relação, conhecer a cultura que aqui chegou e reconhecer nas artes e na Cultura a presença africana”, diz Koffi Tougbo.

g
Sede da Funceb (Foto: Jamile Menezes)

A diretora geral da Fundação, Renata Dias, juntamente com os dirigentes, Lia Silveira (Dirart), Jacson Espírito Santo (CFA), Daniela Fernandes (Dimas) e a Chefa de Gabinete, Vanessa Cruz, recebeu a comitiva e apresentou o prédio histórico que sedia a Funceb, além de falar-lhes das ações que a instituição encabeça.

Renata apresentou a Fundação e falou do momento político que vive o Brasil, em relação às Artes e à Cultura, da Cinemateca e 45 anos da DIMAS, dos 35 anos da Escola de Dança.

“Somos procurados por países desta Diáspora para estabelecer cooperações no sentido de entender como conseguimos traduzir a cultura afro-brasileira nestas linguagens artísticas, portanto, ter esta visita para nós é enriquecedora”, pontuou. A comitiva esteve ainda na Escola de Dança da Funceb, onde assistiram a duas apresentações: "Xorodô", coreografia de Márcio Fidelis e "Ilhas", um a coreografia de Matheus Ambrozi.

Boa Morte

Na quinta-feira (15), a comitiva da Costa do Marfim conheceu a bicentenária Festa da Boa Morte, na cidade de Cachoeira, no Recôncavo Baiano. Na ocasião, eles acompanharam a missa solene da assunção de Nossa Senhora, e em seguida, a Procissão festiva em homenagem a Nossa Senhora da Glória. À tarde, houve a Valsa, Almoço das Irmãs e samba de roda.

d
Festa da Boa Morte (Foto: Amanda Moreno)

“A nossa presença aqui é uma alegria. Logo na entrada de Cachoeira está escrito ‘Cidade Heróica – Cidade Monumento Nacional’, isso já nos permitiu compreender a importância de Cachoeira. Estamos aqui para aprender a história do Brasil, da nossa comunidade, para ver como é que uma irmandade só de mulheres se unia para comprar cartas de alforria para libertação de irmãos e irmãs nossas aqui”, disse Koffi.

A diretora geral da Funceb, Renata Dias, ressaltou o momento da visita da Comitiva ao Brasil: “a comitiva faz parte de um projeto da Unesco iniciado em 1994, A Rota do Escravo. Através de pesquisas na internet eles chegaram à Funceb, e entraram em contato comigo em março interessados em visitar o Brasil para entender a relação escravagista que havia entre o país e a Costa do Marfim. Sugeri que eles viessem em agosto justamente por causa da Festa da Boa Morte”.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.