Notícias

17/10/2019 10:30

Funceb celebra 45 anos de políticas para o Audiovisual na Bahia

n

O desenvolvimento da política do audiovisual baiano é destaque na atuação da Fundação Cultural do Estado da Bahia através da sua Diretoria de Audiovisual, que em 2019 celebra 45 anos. Desde o início de 2018 a instituição tem buscado diálogos com diversos agentes e gestores do setor no estado e no país.

Dentre as pautas e anseios apresentados estão o trabalho com a memória do cinema baiano, sua preservação; a difusão de obras baianas; a captação de recursos junto à Ancine para realização do Edital Setorial Audiovisual e a presença da biblioteca nacional na capital baiana.

No campo da preservação e salvaguarda, em março de 2019 a Dimas mudou sua sede para o Pelourinho, criando a Cinemateca da Bahia, cujo acervo é composto por aproximadamente oito mil itens como películas cinematográficas, vídeos analógicos, DVDs, Blu-Rays, cartazes, fotografias, revistas, catálogos, livros e coleções. Para a Cinemateca foram adquiridos equipamentos e iniciadas tratativas com instituições federais como UFBA e UFRB e o Arquivo Nacional, tendo o espaço hoje inclusive o Cadastro Nacional de Entidades Custodiadoras de Acervos Arquivísticos (CODEARQ), que é um registro de reconhecimento de instituições que guardam importantes acervos arquivísticos no país.

Para outro espaço gerenciado pela DIMAS, a Sala Walter da Silveira, vem sendo tomadas medidas para requalificação, avaliação de infraestrutura e busca por captação de recursos para adequação dos equipamentos. A Sala é um dos principais pólos difusores do acervo da Cinemateca, com a realização contínua de exibições gratuitas.

Difusão

Um circuito alternativo de exibição audiovisual também estava na pauta de solicitações do setor. Para isso foi criado um GT formado pela sociedade civil, gestores públicos e associações audiovisuais do estado, com o intuito de refletir e abordar alternativas de ampliação do parque exibidor na Bahia. Destas discussões surgiu o Circuito Luiz Orlando de Exibição Audiovisual, que de novembro de 2018 a setembro de 2019, alcançou quase 16 mil espectadores em mais de 90 municípios, com exibição de filmes baianos.

Ainda no campo da difusão e em meio à programação especial de aniversário da Dimas, entre outubro e novembro deste ano será lançada a Sessão Cinemateca da Bahia através de cooperação entre Funceb e Irbed, com sessões que irão ao ar semanalmente na TV Educativa da Bahia. “A Sessão Cinemateca da Bahia engloba não apenas a difusão, mas também a memória do cinema baiano, potencializando a exibição de produções baianas que integram nosso acervo”, conta a diretora de Audiovisual da Funceb, Daniela Fernandes.

Ancine e Biblioteca Nacional

Foram captados R$ 15 milhões junto à Ancine para realização do Edital Setorial Audiovisual 2019. A Secult também disponibilizou cerca de R$ 5 milhões do Fundo de Cultura do Estado da Bahia, somando o edital o montante de R$ 20 milhões para produção, distribuição, formação e o desenvolvimento do audiovisual baiano. Das 236 propostas enviadas para concorrer ao edital com recurso do Fundo Setorial de Audiovisual (FSA), 229 são de Produção e 7 para Distribuição. As demais propostas se referem ao certame com recurso oriundo do FCBA, que recebeu 561 inscrições. Foram 24 selecionados e 19 convocados para a assinatura do TAC, após comunicado solicitando ajustes e documentações.

“Os indutores de raça, gênero e territorialidade, presentes no edital, é outra demanda cumprida pela Funceb. O edital inclusive aconteceu antes mesmo de serem lançados os demais setoriais, para cumprir o prazo federal do investimento no edital”, declara Daniela.

Sobre a presença da Biblioteca Nacional na capital baiana, já foi feita solicitação para esta reimplantação, justificada pelo grande volume de registros do nosso estado. No entanto, o pedido foi negado pela falta de condição da Biblioteca de acompanhamento de novos postos. A proposição será reapresentada pela Funceb.

Histórico - Ao longo dos anos, a DIMAS consolidou-se como referência para o setor audiovisual baiano, através de planos de formação de novas plateias, aperfeiçoamento do olhar crítico e capacitação técnica, além da publicação de editais de fomento à produção da área. A Sala Walter da Silveira, a Cinemateca da Bahia e o Circuito Luiz Orando desempenham um papel importante, nesse sentido, buscando atender às demandas do público de audiovisual do estado. A atuação da DIMAS, nos últimos anos, abrangeu o fomento e apoio à produção audiovisual, através do estímulo e suporte a realizadores e artistas; a difusão do audiovisual baiano, por meio do apoio à criação de novas janelas de exibição e formas de facilitar o acesso do público às obras; a formação, na realização de cursos de capacitação, qualificação técnica e sensibilização do público para a linguagem; e a memória, com vistas à preservação de obras raras do audiovisual do estado.

Confira aqui a programação de ações em celebração aos 45 anos da DIMAS.


--
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.