Notícias

28/11/2019 14:07

#NovembroArtesNegras - Espetáculos de Dança e Circo agitaram programação nesta quarta-feira (27)

guegoO segundo dia de apresentações da programação do Novembro das Artes Negras - Ano III, na na Sala King, misturou as linguagens de Dança e Circo, nesta quarta-feira (27), na Funceb. A abertura das atividades ficou por conta do bailarino Guego Anunciação, com o seu espetáculo Negreiro.

Com duração de 40 minutos, a “dança-luta” foi movida pela necessidade de existir e resistir que os corpos negros tem na sociedade desde sempre.  As coreografias foram baseadas na bravura dos heróis negros que por tanto tempo foram apagados da História.

Essa foi a segunda vez que o artista apresentou o solo, desde a sua criação em setembro deste ano, após um intercâmbio no México, pelo Vivadança. "Cada pessoa que assiste cria uma sensação do que é apresentado", diz.

A montagem é um conjunto de reflexões sobre pesquisas em dança, pertinentes ao campo das artes na perspectiva do artista negro. "Por muito tempo não éramos nós o destaque nas Artes. É incrível quando jovens nos assistem e encontram uma identificação, um novo conceito de protagonismo e heroísmo da figura preta. E eu me sinto honrado em ser porta voz desse grito", comentou Guego.

LimaCasamento do Palhaço

O artista se despediu do público, dando espaço para a história de um palhaço e mágico que no dia do seu casamento é abandonado pela noiva. O espetáculo O Casamento do Palhaço, do artista João Lima, mostrou também a outra noiva que o palhaço casou, escolhendo-a da platéia, mas foi abandonado novamente.

Durante quase uma hora, o artista empolgou a plateia que tinha um público infantil muito animado e atento a cada detalhe da trama. O palhaço se misturou entre truques desastrosos de mágica e desacertos na conquista das duas noivas.

Para a professora Regina Santos, que acompanhou uma turma de crianças, tirar eles das salas e aproximar das artes é algo mágico. "Cada olhar atento e participativo nos faz perceber como a arte causa inquietação e curiosidade em todos que estavam ali super animados.E palhaços tem um lugar certo no coração das crianças", disse.

Para o artista João Lima, ser negro e fazer palhaçaria é muito importante, principalmente para a representatividade nas crianças. "Essas ações são importantes para lembrar o novembro como mês de luta e resistência que nos norteia o ano inteiro", finalizou.

nan

João Lima é pesquisador e praticante da palhaçaria. Ele já dirigiu quatro shows musicais e mais de 20 espetáculos, sendo 6 contemplados no prêmio Braskem de Teatro.

Novembro das Artes Negras - Ano III - Até a sexta-feira (29), a Sala King recebe produções negras, como o “Sarauzinho da Calu” (29), às 11h. O encerramento se dará na sexta-feira (29) com o show de Dão, no Largo Pedro Arcanjo, às 20h.

Confira aqui a programação completa!

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.