Notícias

29/11/2019 14:40

#NovembroArtesNegras - Sarauzinho da Calu abordou racismo com música, poesia e literatura

sarau

A manhã desta sexta-feira (29) foi marcada pelo imaginário infantil e a necessidade de salvaguarda da memória, com a apresentação do Sarauzinho da Calu, encerrando a terceira edição do Novembro das Artes Negras, na Sala King.

O espetáculo passeou pelo encantamento da poesia para falar de assuntos que magoam crianças e jovens negros que sofrem racismo. A diretora do espetáculo, Cassia Vale, lembra que é importante falar do empoderamento de jovens e crianças negras todos os dias, mas que “este é um mês específico para amplificarmos essas falas”.

“É fundamental sair da caixa preta do teatro e ocupar espaços, abordando um assunto tão importante e presente na sociedade. O Sarauzinho utiliza a poesia, música e literatura infantil para falar de representatividade, tradição memória e identidade”, disse. A mamãe Marina Soares estava acompanhando o filho de 3 anos que não piscava os olhos esboçando encantamento a cada fala dos personagens.

sarau“Eu achei linda a forma como a cultura negra é abordada. Traz relatos de dor de forma poética com um empoderamento necessário. Eu recomendo que os pais não deixem de assistir e levar seus filhos para uma verdadeira aula de amor e respeito”, comentou. O Sarauzinho da Calu é fruto do premiado livro “Calu, uma menina cheia de histórias”, primeiro livro de Cassia Vale, em parceria com Luciana Palmeira.

Novembro das Artes Negras Ano III - Em parceria com a Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização (Seap), o projeto reuniu todas as linguagens artísticas e contemplaram internos e internas do Complexo Penitenciário Lemos de Brito, de 18 a 22 de Novembro. As atividades seguiram na Sala King, na sede da Funceb, de 25 a 29 de novembro atendendo as mais diversas linguagens artísticas.

 

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.