Notícias

17/12/2019 15:40

#Balanço2019 – Quase 10 mil pessoas foram beneficiadas pelas ações de Teatro da Fundação Cultural do Estado em 2019

s
Se Mostra Interior - Mulheres Malês (Foto: Milla Carol)

Até parece que foi ontem que muitas das ações da Coordenação de Teatro da Fundação Cultural do Estado da Bahia aconteceram. Atividades pontuais e continuadas, em Salvador e em lugares inéditos do interior do estado, e sempre com diversidade temática, marcaram as ações da Funceb no campo artístico teatral baiano.

Durante o ano, foram realizadas três edições do Curso de Elaboração de Projetos Culturais, que aconteceu dentro do Programa Ações Formativas, uma iniciativa da Diretoria das Artes em parceria com o SENAC. A primeira edição aconteceu em Wagner para 25 pessoas oriundas de diversos municípios da Chapada Diamantina, no mês de maio.

No mesmo mês, o curso recebeu 100 inscrições para o curso realizado em Salvador, que contou com 30 vagas. Devido ao grande número de inscrições, a coordenação de teatro realizou mais uma edição, que recebeu mais de 200 inscrições, contemplando também 30 pessoas. Nas três edições, algumas pessoas não puderam comparecer e foram convocados suplentes, totalizando a participação de 90 pessoas na formação em 2019.

Destaque no interior do estado - O destaque deste ano foi o Se Mostra Interior, convocatória que selecionou seis espetáculos de artes cênicas e seis obras de artistas visuais, ambos do interior do estado, para se apresentarem no palco do Teatro Gamboa Nova, em Salvador; e ilustrarem a capa de programação mensal do teatro.

O projeto aconteceu no período de seis meses e os espetáculos teatrais mobilizaram 470 pessoas na capital baiana no período. Os espetáculos selecionados foram: Mulheres Malês (Lauro de Freitas), Consolo (Palmeiras), Sentimento Gris, (Juazeiro), Raul, Lira e o Incrível Livro da Capa Azul (Vitória da Conquista), Encarceradas (Feira de Santana) e Pinóquio (Ilhéus).

Já as obras visuais selecionadas foram: "Doce Infância", de Márcio Gari (Ubaitaba); "Logro e Logra em Preto e Branco" de Janete Lainha (Ilhéus); Obra "Mandacaru quando flora lá na seca", de Cisio Lima (Wagner); "Aventura é ser criança", de Heitor de Santana Rodrigues (Juazeiro); "Belezas Crespas", de Filipe de Oliveira Santos (Alagoinhas); e "Energia Oxum", de Jaci Pinto de Souza (Alagoinhas).

s
Intercâmbio FIAC (Foto: Amanda Moreno)

Intercâmbios - Criado em 2016, o Intercâmbio Artístico-Cultural em Festivais objetiva viabilizar a participação de artistas e agentes culturais do interior em importantes festivais que acontecem na capital. Os selecionados ficam hospedados na residência artística da Funceb, o Pouso das Artes, e recebem ainda o transporte de ida e volta para suas cidades, alimentação e participação nas ações de fruição e formação dos festivais.

Para o Festival Internacional Latino Americano de Teatro (FILTE), que aconteceu de 23 a 29 de setembro, a Funceb recebeu 10 intercambistas de seis macroterritórios do estado para participarem do evento. A Fundação ainda investiu o valor de R$ 20.000,00 no Festival que chegou a sua décima edição e beneficiou aproximadamente 5 mil pessoas em 2019.

Durante o FILTE também foi lançado o Kit Difusão de Teatro da Bahia 2018, a partir da realização de dois cursos “Empreender em Cultura - perspectivas da internacionalização” e “Rodada de Negócios”. Em sua terceira edição, o kit é composto por 30 produções teatrais baianas e reúne informações das montagens e fotos, com textos em português, inglês e espanhol, e entregue aos participantes juntamente com pendrive que inclui vídeos dos espetáculos.

Já para o Festival Internacional de Artes Cênicas (FIAC), que aconteceu de 23 a 27 de outubro, o Pouso das Artes da Funceb recebeu 14 artistas/agentes culturais de teatro que participaram de toda a programação do festival.

Apoio - A Funceb co-realizou o III Encontro de Filosofia e Teatro de Rua da Bahia, junto com a Universidade Federal da Bahia (UFBA), em apoio ao Movimento Teatro de Rua.  Através de Termo de Cooperação Técnica, a coordenação de Teatro e a Diretoria das Artes ficaram responsáveis pela contratação de 5 espetáculos para se apresentarem na Mostra Nordestina de Teatro de Rua nos dias 30 e 31 de março.

Foram eles: O Museu é a Rua - Grupo de Arte Popular A Pombagem (Salvador/BA); YNE – Histórias, Cantos e Encantos - Grupo Experimental de Teatro de Rua e Floresta Vivarte (Rio Branco/AC); Contos, Cantos e Encantos - Companhia Horizontal de Arte Pública (CHAP) (Rio de Janeiro/RJ); Rua sem Saída – Grupo Teatral Nativos Terra Rasgada (Sorocaba/SP); e Memorial de Vila: Data Brasil - Cia Delas (Londrina/PR). Cerca de 2 mil pessoas foram beneficiadas pelo evento.

Outra ação apoiada pela Funceb através da coordenação de Teatro foi a comemoração dos 30 anos do Teatro de Lambe-Lambe, que aconteceu de 25 a 30 de setembro, com 60 artistas lambelambeiros de diferentes estados e países para um público de 1.500 pessoas.

Além disso, a coordenação ministrou oficina básica de teatro em América Dourada (BA) para 25 pessoas entre crianças, adolescentes e jovens da Zona Rural, em atividade junto com a Coordenação de Dança da Funceb.

d
"Isto não é uma mulata", na Sala King da Funceb (Foto: Keila Menezes)

Novembro Negro  -  Durante o Novembro das Artes Negras - Ano III, a Coordenação de Teatro levou à Penitenciária Lemos de Brito a comédia baiana “Na Rédea Curta”, com os atores Sulivã Bispo, Thiago Almasy e Rodrigo Villá; e trouxe a Sala King, o monólogo “Isto Não É uma Mulata”, com Mônica Santana que concluiu com a discussão de estudantes.

Para Gabriela Sanddyego, a frente da Coordenação de Teatro, que assumiu a gestão em maio deste ano, a sensação de atividades pontuais, mas com impactos fundamentais são as conquistas memoráveis. “Um dos pontos que melhor representa a coordenação este ano foi a possibilidade de ser intersetorial. Conseguimos construir ações multilinguagens e marcadamente isso acontece no interior ou trazendo os municípios para próximo”, afirma a Coordenadora.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.