Notícias

18/12/2019 10:50

#Balanço2019 – Em 2019, mais de 500 pessoas usufruíram de artes circenses através da Fundação Cultural do Estado

s
Exibição do documentário com Mariana Gabriel (Foto: Nila Carneiro)

A Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb/SecultBA), através do Núcleo de Artes Circenses, durante todo o ano realizou diversas ações na capital e no interior da Bahia voltadas ao reconhecimento e valorização da arte circense.

Em março comemora-se o Dia do Circo (27), e neste ano, a programação preparada pela Funceb foi especial. No dia 25 de março, 65 alunos da Escola Municipal Hildete Lomanto se reuniram para assistir a exibição dos vídeos da Campanha Valorize o Circo como atividade da disciplina de artes, a convite da professora Poliana Bicalho.

Após a exibição dos vídeos, a então coordenadora do NAC, Vika Mennezes, apresentou aos alunos a Fundação Cultural, o trabalho do  Núcleo de Artes Circenses, e o projeto Empoderamento das Mulheres de Circo.

História da primeira palhaça negra do Brasil

Desde 2016, o Núcleo de Artes Circenses da Funceb articula a exibição do documentário “Minha Avó era Palhaço”, das diretoras Mariana Gabriel e Ana Paula Minehira, que conta a história de dona Maria Eliza Alves dos Reis, que se vestia de palhaço homem para poder se apresentar, o palhaço Xamego.

Neste ano, o documentário foi exibido três vezes pela Funceb em parceria com Mariana Gabriela, que é neta de dona Maria Eliza, para um público estimado de 210 pessoas. A primeira exibição aconteceu na Sala Walter da Silveira, na manhã no dia 7 de junho, para alunos do Colégio Estadual Senhor do Bonfim.

No mesmo dia, a tarde, a exibição aconteceu no Cine Teatro Góes Calmon, no Museu Eugênio Teixeira Leal para alunos do SENAC. Por fim, no dia 8 a exibição foi na Biblioteca Infantil Monteiro Lobato, para o público em geral.

s
"Consolo" no Teatro Gamboa Nova (Foto: Milla Carol)

Se Mostra Interior

O projeto que é idealizado pela Coordenação de Teatro da Funceb, selecionou para o mês de agosto o solo circense “Consolo”, através do Núcleo de Artes Circenses, que realizou o acompanhamento da ação. O espetáculo foi realizado entre os dias 24 e 25 de agosto, no Teatro Gamboa Nova, contando com um público de 60 pessoas por apresentação, o que representa lotação máxima do Teatro.

Após a sessão de sábado, houve um bate papo articulado pelo Núcleo sobre o “O Protagonismo Feminino nas Artes Circenses” com Luana Serrat, instrutora de tecidos aéreos e responsável pelo Circo Picolino, e Romana Melo, atriz, palhaça e protagonista do espetáculo “Consolo”.

s
"O Casamento do Palhaço" na Sala King (Foto: Bia Imperial)

Novembro das Artes Negras

Já em sua terceira edição, o Novembro das Artes Negras da Funceb foi criado em 2017 e segue sendo realizado anualmente, apresentando um conjunto de atividades e diálogos sobre os movimentos contemporâneos. A programação engloba todas as linguagens artísticas da Funceb e neste ano aconteceu em duas etapas.

A primeira foi nas unidades prisionais de Salvador, em parceria com a Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização do Estado da Bahia – SEAP/BA. Na ação, o NAC levou o espetáculo “O Circo de um homem Só” aos internos da Penitenciária Lemos de Brito.

Na segunda etapa, que aconteceu na Sala King da Funceb, o Núcleo de Artes Circenses realizou a apresentação “O Casamento do Palhaço”, que foi apresentado no mesmo dia do espetáculo de dança “Negreiro”. No final das apresentações, os artistas João Lima e Guego Anunciação fizeram um bate-papo com cerca de 130 espectadores presentes.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.