Notícias

15/06/2020 08:35

#PerfilDasArtes - Palhaçaria, performance e dança fazem parte do universo artístico de Felícia de Castro

1

Atriz,palhaça, performer-criadora, fundadora da oficina "Palhaças Bem Vinda Sois Vós" e pesquisadora da arte-ritual, de culturas brasileiras, palhaçaria pessoal e comicidade feminina. Esse é um breve currículo da artista Felícia de Castro, que acumula mais de 20 anos de experiência em sua carreira.

Felícia de Castro, 44 anos, nasceu em Salvador, e em 1994 ingressou na Universidade Federal da Bahia (UFBA), integrando a Escola de Teatro. No ano de1999 ela iniciou na arte da Palhaçaria pelo Lume Teatro (Núcleo Interdisciplinar de Pesquisas Teatrais da Unicamp), lugar onde pôde vivenciar, conhecer e ter mais experiência com a arte. “Os cursos foram uma base do meu trabalho e pesquisa”, diz.

“As culturas brasileiras e populares foram uma das maiores inspirações para mim. Logo, não posso esquecer da cultura na Bahia, como o candomblé, sambas de roda e capoeira-angola”, conta a artista ao relembrar os momentos de sua carreira. Além das culturas da Bahia, a artista circense ainda pesquisa as manifestações do Cariri cearense e de Minas Gerais.

aPalhaçaria

Em 2000 Felícia de Castro montou e integrou o grupo “Palhaços para Sempre”, que era composto por cinco artistas e durou cerca de 10 anos. Antes de chegar ao fim, o grupo fez diversas montagens de espetáculos e chegou aganhar uma premiação pelo Festival Nordestino de Teatro no Ceará, com o espetáculo “Jardim”. “Mais ou menos naquele período, em 1999, comecei a pesquisar o processo de criação e a trajetória vocal do espetáculo solo 'Rosário', e em 2009 finalmente nasceu o espetáculo", conta a artista.

"Rosário" foi fruto de 10 anos de pesquisa da cultura afrobrasileira e de seu treinamento pessoal sobre técnicas de criação para o ator. O espetáculo foi contemplado pelo edital Culturas Negras 2008 da Fundação Pedro Calmon. Após o encerramento do grupo, em 2010, Felícia se tornou artista independente e entrou no mestrado no programa pós-graduação da Universidade Federal da Bahia em Artes Cênicas.

“Uma das experiências mais fortes que tive durante minha carreira nas artes circenses foi em 2017, com um projeto no Circo Dallas, que teve intermediação da Funceb. Vi muitas mulheres que não eram consideradas artistas, mas a gente conseguiu fazer um evento transformador. Naquele contexto percebemos que as mulheres de circo são extremamente oprimidas no  mundo circense”, ressalta.

Foto: Nti Uirá

O projeto citado pela artista é o "Empoderamento das Mulheres de Circo", promovido pela Funceb, através de seu Núcleo de Artes Circenses, em parceria com a Secretaria de Política para as Mulheres, e aconteceu no município de Araci.

Com apoio da Funceb através do Edital Setorial de Circo 2016, Felícia de Castro celebrou seus 20 anos de carreira com o espetáculo "Tudo Que Você Precisa é Amor", que teve a direção assinada por ela e por Alê Casali.

dA performance é uma homenagem ao rito da palhaçaria e às mulheres cômicas, pesquisa aprimorada há 10 anos por Felícia de Castro através do projeto Palhaças, Bem-Vindas Sois Vós. A obra é ancorada na palhaçaria e em sua função sagrada do riso. O espetáculo tem ainda como foco dramatúrgico o ensinamento budista que aborda a busca incessante do ser humano por satisfação e a possibilidade da felicidade ser encontrada dentro de si.

“A palhaçaria é o lugar de afeto, olho no olho, de abraçar quem a gente é. Ou seja, de poder expressar isso para as pessoas, para que elas reconheçam e possam se expressar também. A partir disso, muita coisa se amplia”, destaca a artista, Felícia de Castro.

Foto: Manu Melo Franco
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.