Notícias

24/06/2020 15:10

#PerfilDasArtes - Da poesia às notas em tom de "Vermelha", conheça a cantora e compositora Joana Terra

b

Nascida em Salvador e criada em Barra da Estiva, no sudoeste baiano, Joana Terra, na infância, era a menina observadora, entre quatro irmãos de um pai médico e mãe dona de casa. Para falar da trajetória de Joana Terra, vamos ao ano de 1999, para lembrar quando a garota decide antecipar a conclusão do Ensino Médio, fazendo um supletivo, para tentar o vestibular em Música, o seu sonho de menina.

A história da música na vida de Joana começa cheia de curiosidades. Aos 15 anos, ela tocava violão escondido, usando o instrumento do marido da sua madrinha. E foi ele, Lourival Ramos, que ao descobrir a arte, ficou enciumado mas percebeu que a menina tinha talento, investiu num presente que faria toda a diferença na vida de Joana: um violão.

“O violão passou a ser a minha companhia mais constante na vida, eu não ia para lugar nenhum sem esse instrumento. Foi um amor imediato, impactante. E a todo tempo eu levo as minhas emoções para o violão, e é dele que surge tudo”, comenta Joana Terra.

O palco do Colégio Cândido Portinari, onde estudava em Salvador, foi o primeiro que recebeu a artista, num concurso de poesia. “Era uma loucura viver aquilo, e quando eu me deparei com meu tio, o poeta Luiz Antonio Cajazeira Ramos, no júri, eu fiquei ainda mais nervosa, mas foi um resultado maravilhoso”.

d

Carreira musical


Joana começou a estudar música sozinha, mas como o vestibular pedia teste de aptidão, ela procurou um professor para ajudá-la. O resultado foi atingido, e ela foi aprovada em Licenciatura em Música, na UFBA. Mas o seu pensamento não funcionava de forma cartesiana, como lembra, “eu tive dificuldade de me enxergar naquele ambiente, não era a minha prioridade sistematizar a música e sim fazer música, estar no palco”.

Investindo na carreira de cantora e compositora, Joana fez alguns cursos, dentre eles destaca as aulas de canto com a cantora baiana Andrea Daltro. “Foi com ela, nas aulas de improvisação, que eu descobri o dom da composição. Eu era tímida e ela dizia, vai menina, você é compositora. Daí pra frente, eu não parei mais”, lembra.

Em 2004, a cantora e compositora participou do Festival de Música da Rádio Educadora Fm, em Salvador, buscando uma identidade artística, e chegou a ser finalista do festival com uma música de Fred Aquino.

Na sequência, entrou no Samba das Moças, grupo de samba composto por mulheres que usavam a arte e o palco para trocarem experiências e afetos. Elas foram convidadas a se apresentar nos aniversários da cantora Maria Bethânia e da saudosa Dona canô, em Santo Amaro da Purificação, Recôncavo Baiano. Com o grupo, ela fez carnavais, abriu shows de artistas consagrados na música brasileira, como João Bosco e Martinália.

dAté que decidiu se afastar da banda e seguir a sua carreira, mas sempre que pode visita as meninas.“Em algum momento eu precisei me afastar por outras inquietações, era  a veia da composição, algo interior. Precisei me perder um pouco de mim para encontrar o que eu queria falar além disso", revela.

Prova disso, é o seu primeiro disco, intitulado de Vermelha, que foi lançado em 2019, com apoio de pessoas que se interessavam pelo trabalho da artista. Joana destaca que o compositor Juliano Holanda é de grande importância para a realização desse disco. “Eu tinha receio de mostrar as minhas músicas e ele incentivava que eu fizesse esse registro. Vermelha é um trabalho bem amoroso e cada pessoa nele ofertou energia e arte para a construção”, disse.

O disco Vermelha está disponível em todas as plataformas digitais, com 11 faixas, todas de autoria de Joana, com algumas parcerias. A cereja do bolo, ou a nota mais alta, para trazer à realidade musical, é que o disco saiu em listas nacionais de melhores do ano e foi indicado a premiações, mas como Joana pediu segredo, vamos guardar a informação até que possa ser contada.

Segura um pouco a ansiedade e confere mais do trabalho da cantora e compositora Joana Terra em seu canal do Youtube (Joana Terra).  

Fotos: Arquivo Pessoal
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.