Notícias

22/09/2020 08:50

#CalendárioDasArtes - “Corpos negros insurgentes em cena” traz a poética de corpos dissidentes na dança

d
 
A proposta de Telma Sueli, contemplada na categoria Audiovisual do edital Calendário das Artes 2020, é da cidade de Ilhéus “Corpos negros insurgentes em cena” apresenta a poética de corpos dissidentes em um balé afrocentrado. A ideia surgiu através de pesquisas que a atriz, poeta e professora, Telma Sueli, desenvolve no campo das relações étnico-raciais, no espaço escolar, onde analisa o quanto essas relações afetam o processo produtivo de crianças e jovens inseridas nesses espaços.

A Bahia apresenta em sua população 81,1% de pessoas autodeclaradas negras, mas, segundo Telma “em um espetáculo de balé dificilmente está incluída a representatividade de pessoas negras”.

O trabalho consiste na releitura de poemas dissidentes, realizados em quatro vídeo-poemas nos quais quatro bailarinos negros apresentam uma performance artístico-plástica utilizando o estudo da semiótica., através de uma linguagem contemporânea e contextualizada.

xNo espetáculo, os bailarinos projetam a intersecção entre seus corpos negros e os poemas classificados na contemporaneidade como insurgentes, para reivindicar o lugar do corpo afro-diáspórico no balé clássico.

Para Telma Sueli, “é preciso usar a arte para contestar esses espaços, pois é importante refletir por meio do balé e de poemas insurgentes sobre a representação dos corpos negros afeminados na sociedade”.

“Pensado nisso e nas atividades de interdisciplinaridade, percebo como a dança, e principalmente o balé, rodeado por corpos masculinos afeminados, causam estranhezas por adentrar em um universo construído pelas normas de gênero como sendo feminino”, diz Telma.

Telma Sueli - Nascida em Ilhéus-Bahia, é atriz, poetisa professora e licenciada em Filosofia pela Universidade Estadual de Santa Cruz. Especialista em Educação e Relação Ética Racial pela UESC e integrante da companhia Trapizonga de Teatro, fez por muito tempo teatro de rua levando arte aos transeuntes e fazendo da rua um palco.

Faz parte do MNU (Movimento Negro Unificado) onde alimenta o ideal da igualdade e se abastece com dados e informações que estão presentes em suas aulas, onde fomenta a temática contra o preconceito e sobretudo a temática da Mulher Negra, num recorte de valorizar e destacar as produções das mulheres negras na nossa história.

Protagoniza ao lado de Tereza Sá a realização do projeto “Mulher Negra, a força que se explica”, na escola do município, onde tem conscientizado muitos estudantes sobre a importância de afirmar-se negra/negro.

Os quatro vídeo-poemas “Corpos negros insurgentes em cena” estão disponíveis no canal da Funceb no Youtube. Então, segue o canal e ativa as notificações para não perder nenhum vídeo!

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.